• Clau Gazel

Cheiro de lavanda e sabor de azeite: assim é a Provence!

Foi num domingo qualquer, em que eu parei sem querer no Telecine e comecei a assistir Um Bom Ano, de Riddley Scott. O roteiro não é lá estas coisas, já que o protagonista (Russell Crowe) tem que escolher entre ser bilionário na Inglaterra, trabalhando no mercado financeiro, ou ser milionário na Provence, nas terras que herdou de seu tio. Difícil, não?!?! Mas isso passa a não ter a menor importância a partir do momento em que as paisagens da Provence começam a aparecer no filme. E foi assim que decidi ir para lá. Numa folha de jornal, anotei a primeira pista: Place L’etang. No dia seguinte, dá-lhe google! Depois de 40 minutos, uma hora de intensa pesquisa, descobri o Luberon e, então, não tirei mais esse lugar da cabeça!


Comecei a procurar material e na Livraria Cultura (http://www.livrariacultura.com.br/) – que aliás, é fantástica nesse setor – encontrei o Guia TOP 10 Provença e Côte D’Azur, que me ajudou muito na definição do roteiro. Também peguei dicas ótimas de amigos (Grá e Medina, que dicas!!!) que moraram na França e estiveram nessa região. Levei 9 dias para fazer o percurso a seguir, com calma, sem correria. É uma viagem pra fazer de carro.

A única coisa que acabei não explorando foram as cidades maiores, como Aix e Marseille. É que depois de ir a lugarejos onde mal se ouve o ruído de carros, é um pouco assustador pegar trânsito, procurar estacionamento, ver filas em restaurantes, shoppings, barulho, enfim …. essa definitivamente não era a Provence que eu queria. Por isso minha dica é: se for a estas cidades, programe-se para começar por elas, pois quando chegar aos vilarejos sofrerá um choque positivo! Veja o meu roteiro:

1. Avignon – uma cidade murada, onde fica o Palais des Pepes. Ainda que você não tenha o mínimo interesse pela história da igreja católica, a grandiosidade da construção do palácio tira o fôlego de qualquer um.


2. Les Baux de Provence – o amigo que me recomendou esta cidade disse que era um passeio dispensável, se comparada à região de Gordes ou ao Gorges du Verdon. Resolvi ir assim mesmo. Já na estrada de Avignon a Les Baux, pela quantidade de mirantes e pela vista já podia imaginar o que me esperava. Chegando lá, hotéis de beira de estrada muito fofos e a cidade, um minúsculo povoado encravado nas montanhas de calcário, aos pés das ruínas do antigo castelo. A entrada ao Castelo é indispensável: de lá você terá uma das vistas mais lindas e amplas que pode imaginar! Fiquei no Hotel de la Bevengudo (http://www.bevendugo.com/) e eu indico fortemente. O quarto era muito aconchegante, com banheira de hidromassagem e um café da manhã muito bom, com croissants frequinhos, geléia e iogurte caseiro.

A VISTA A PARTIR DO CASTELO

A CIDADE

O HOTEL

3. Maussane-les-Alpilles – cidadezinha charmosa que fica a 15 minutos de Les Baux. Tem uma pracinha, a Place Joseph Laugier de Monblan, que é deliciosa pra tomar um sol, bebendo uma taça de vinho rosè à espera do jantar, no La Place, ótimo restaurante que fica por ali mesmo. Faça reserva pois lota!!! O site da cidade é: http://www.maussane.com/ Bem próximo dali fica Fontvieille, cidade onde há um moinho, o Moulin Alhonse Daudet , e St. Rémy-de-Provence, cidade em que Van Gogh morou. Acabei não indo nesta última, mas fica a dica.

4. Arles – é uma cidade bem maior que as anteriores. Tem o anfiteatro romano rodeado por umas ruizinhas bonitinhas e bem estreitas. Também vale visitar o Espace Van Gogh, o antigo hospício onde o pintor cortou sua própria orelha. Ver de perto o jardim que o inspirou para algumas obras é emocionante!

PIQUENIQUE EM ARLES

ESPACE VAN GOGH

5. Cassis – super charmosa, fica bem perto de Marseille. Em Cassis, a partir do Porto saem os barcos para conhecer os Calanques (http://www.calanques13.com/). Esse passeio é imperdível!!! É muito lindo! Depois, saia de carro e pegue a estradinha que chama Route des Cretes. Tem vários mirantes pra apreciar as águas azuis do Mediterrâneo. Pare em tudo, sem pressa. Depois, você pode ir até Ciutat, almoçar no Calanque de Figuerolles (http://www.figuerolles.free.fr/). O Lugar é bem bonito e mais tranquilo que os restaurantes do porto em Cassis. Eu não dormi em Cassis, mas quando eu voltar (eu vou voltar!), vou ficar um ou dois dias por lá. Há ótimos restaurantes e lojinhas, várias lojinhas! O site da cidade é http://www.cassis.fr/.

A CIDADE

O PORTO

CALANQUES

ROUTE DES CRETES

6. Moutiers Sainte-Marie – mais uma cidade encravada nas pedras, com uma atmosfera toda especial. Quando cheguei lá, parecia mentira, parecia filme … aquela montanha de pedra, uma escadaria enorme para subir até a Capela Notre Dame de Beauvoir … casinhas e hotéis fofos, tudo perfeito, lindo … oliveiras por toda a parte, o barulhinho de água escorrendo pelo meio da cidade … as ruas desertas à noite, o silêncio …. Adorei essa cidade!!! Almoçamos no La Treille Muscate, que é ótimo!!! Sente na varanda, pertinho do rio, pra ficar admirando a cidade. (http://www.restaurant-latreillemuscate.com/) Ficamos no Clos de Iris (http://www.closdesiris.fr/). Não é tão requintado quanto o hotel de Les Baux, mas é muito confortável e aconchegante e o café da manhã, feito na varanda do quarto, é perfeito!!! É a cara da Provence!!!

MOSTIERS SAINTE MARIE


7. Gorges du Verdon – saindo de Mostiers em direção a La Palud (20 km), você tem acesso à estrada D 23 – Route des Crêtes. É uma estrada circular, que te levará aos melhores pontos para observar o cânion do Rio Verdon. É sinuosa e exige atenção. Por isso, deixe o vinho para depois! Mas as vistas são de tirar o fôlego e não há a menor chance de você se arrepender!!!


8. Manosque – apenas de passagem pela cidade, fui até a fábrica da L’occitane. Para quem é viciado em L’occitane (existe isso ou eu sou a única!?!?) é um ótimo passeio. As visitas pela fábrica devem ser agendadas com antecedência e só ocorrem uma ou duas vezes por semana. Os preços da loja de fábrica são 10% inferiores ao do restante da Europa. Telefones para agendar seu tour: Centro de Turismo de Manosque: +33 (0) 4.92.72.16.00 e Centro de Turismo de Greox-les.Bains: +33 (0)4.92.78.01.08.


9. Cucuron – não podia deixar de falar de Cucuron, já que a tal praça do filme fica lá. Mas além da praça, não decobri o que fazer por lá. Mas além da praça, não vi mais nada e não descobri o que fazer nesta cidade. Mas foi nas ruas de Cucuron que me indicaram Lourmarin.


10. Loumarin – Foi a cidade que mais gostei no Vale do Luberon. Lojinhas legais, restaurantes ótimos, muito bonitinha mesmo! Na rua principal, que você pode ver na primeira foto abaixo, tem um pouco de tudo: a loja de azeites trufados que são maravilhosos; a loja de artigos de cozinha; a loja de presentes, que tem artigos das marcas La Marelle e La Fiance du Mecong, que mencionei no post sobre o Marais; a Boulangerie que é uma delícia (prove uma bolacha doce gigante feita com azeite, que é muito típica da região); os cafés! Na Place de la Fontaine tem um restaurante fantástico, o Michel Ange! Não deixe de ir, pois tem um dos melhores pratos que já provei: penne com legumes (legumes plantados na Provence não são iguais aos comprados em supermercados aqui, lembre-se disso!) ao azeite de trufas brancas!!! Só fique atento aos horários, porque qualquer dia pode virar dia de folga. O hotel que ficamos, o Bastide de Lourmarin é muito bom: http://www.hotel-bastide.com/.Só para esclarecer o quanto eu gostei desta cidade, voltamos no último dia para dormir no Hotel Bastide, comer na Boulangerie e fechar a viagem com chave de ouro!



11. Menerbes – não me hospedei em Menerbes, mas lá tivemos uma boa experiência gastronômica no Restaurante Clementine. Comemos uma trouxinha de massa folhada crocante recheada com chevre, com esta vista do Luberon (foto abaixo), tomando um vinho rose bem geladinho!!! Preciso falar mais??!


12. Gordes – também é linda, mas depois de Lourmarin, não foi fácil me agradar tanto. A praça do filme (foto abaixo) não é tão agitada quanto esperava, e o restaurante dali, extremamente caro! Em uma ruela perto da praça encontrei uma boulangerie que comi um éclair de chocolate inesquecível! Para jantar, o Estaminet tem ótimos pratos e um ambiente agradável!



Dicas gerais 1. Viaje de carro e sem pressa. Quando pensar em para em uma cidadezinha que sequer tinha ouvido falar, pare. 2. Compre os produtos locais: sachê de lavanda, sabonete de lavanda, azeites, fruits confits (frutas confeitadas), pães e queijos. 3. Fique atento aos horários de restaurantes e do comércio, pois costumam fechar à tarde por 2 ou 3 horas. 4. Informe-se nos centros de turismo das cidades sobre os dias de feira-livre da região. 5. Se quiser ver os campos de lavanda floridos, programe-se para ir a partir de junho. 6. Siga o símbolo das mais belas Vilas da França; basta pegar o mapa do Luberon, que é fornecido nos centros de turismo ou no link abaixo: http://www.luberon-tourisme.com/cartes/carte_luberon.html#hautcarte


#Gordes #MaussanelesAlpilles #Manosque #GorgesduVerdon #RoutedesCretes #Loumarin #Cucuron #roteirodecarropelaProvence #Ciutat #Loccitane #RestaurantlaTreilleMuscate #MoutiersSainteMarie #Avignon #Arles #HoteldelaBevengudo #Luberon #Calanques #ClosdeIris #BastidedeLoumarin #Menerbes #viajardecarropelaFrança #LesBauxdeProvence #Figuerolles #ValedoLuberon #Cassis

0 views0 comments