• Clau Gazel

Metz: cultura, vida urbana e muito verde pertinho de Paris

A primeira vez que ouvi falar de Metz foi no lançamento do Pompidou, em 2010. E foi por isso que, depois de mais de 2 anos, resolvi ir até lá. Justamente para conhecer o Centre Pompidou Metz. Mas acabei descobrindo muito mais!

Onde fica? Metz fica na região da Lorraine, no departamento de Moselle, no nordeste da França.

Como chegar até lá? A cidade fica a apenas 1h30 de TGV a partir de Paris. E da estação central é possível caminhar até o Pompidou; são apenas 10 minutos.

Como é a Metz? A cidade, cuja história remonta à 58 A.C. quando se deu sua ocupação pelos romanos, é fruto de uma mistura sem fim: tem monumentos romanos, góticos, renascentistas, barrocos, rococós e muito mais, até seu último edifício em estilo contemporâneo, o Pompidou. Tem ainda forte influência alemã e belga.  Para quem curte história, é um prato cheio. Além disso, a cidade é super bem cuidada: os jardins e parques são limpos e maravilhosos, as ciclovias estão em ótimas condições e a programação cultural é intensa. No ano passado o prefeito incluiu a cidade para concorrer ao título de Patrimônio Mundial da Unesco. É só torcer, porque merecer, merece.

 Como andar na cidade? Metz oferece uma boa rede de transporte público, mas eu preferi alugar uma bike. Bem em frente à principal saída da estação central fica a loja para locação de bikes: 7, Place du Général De Gaulle; tel : 03 87 74 50 43 – seg/sex 6h/20h – durante todo o ano;  sáb 10/20h e dom. 14h/20h (a partir de 10h na alta estação-verão). O valor da diária é de 3 euros. Você terá direito ao mapa das ciclovias, que somam quase 50 Km! Também será necessário deixar um cheque-caução (250 euros) ou então, deixar seu passaporte em garantia. Para mais informações, o site www.metzavelo.fr pode ser bastante útil, mas está apenas em francês.

Sites úteis: www.metz.fr; www.tourisme.metz.fr.

O que fazer na cidade? O Pompidou, lógico, é parada obrigatória. Mas a cidade esconde outros segredos. Além de respirar cultura, tem atrativos urbanos e naturais. E é a terra da mirabelle (espécie de ameixa amarela) e também da quiche lorraine. Tem programa de sobra para uma semana se quiser. Minha viagem foi de 2 dias, com uma péssima experiência em termos de hospedagem. Mesmo assim, voltei para Paris com gostinho de quero mais.

Centre Pompidou: O Pompidou de Metz é a concretização da ideia de descentralização cultural do Centre Pompidou de Paris, nascida em meados de 2002. Em dezembro de 2003 o projeto de Shigeru Ban (Tokyo), Jean de Gastines (Paris) e Philip Gumuchdjian (Londres) é vencedor do concurso para construção do local. Em 07.11.2006 foi colocada a primeira pedra deste edifício. Ele promete uma experiência única ao visitante não apenas pela superfície de 8 mil metros quadrados, mas também por seu formato inédito e seu gigantesco teto com estrutura em madeira clara coberto por fibra de vidro, que possibilita total integração com o meio ambiente. Veja como em algumas fotos ele parece de fato flutuar e até se misturar às nuvens! Nele, não há coleção permanente, mas apenas exposições temporárias de artistas vindo dos mais diversos países, bem como espetáculos, debates e filmes. Funcionamento: qua/sex e dom – 11h/18h e sáb. -10h/20h; ingressos: 7, 10 ou 12 euros, a depender do número de exposições disponíveis no local.


Pompidou Metz

Pompidou Metz 1

Pompidou Metz 5

Pompidou Metz 4

Pompidou Metz 2

Cathédrale Saint-Étienne de Metz: em estilo gótico romano, o início de sua construção data de 1220. Sendo uma das catedrais mais altas da França, com 41,41 metros de altura, reúne 6.500 metros quadrados de vitrais. Eles são, além da arquitetura grandiosa da catedral, o grande destaque. Construída com pedra típica da região chamada Pierre de Jaumont, de coloração dourada, a catedral se destaca especialmente no pôr-do-sol. Essa pedra pode ser vista em diversos monumentos da cidade e, pode-se dizer que, de fato, ela dá um toque bastante especial à Metz.


catedral metz 1

catedral metz 2

Marché Couvert: ao lado da catedral fica o mercado coberto, com o qual fiquei bastante impressionada. Bem organizado, tem de padaria a açougue, passando por algumas epiceries, e também alguns lugares para petiscar Adoro! Dentro do marché, além de aproveitar para experimentar as famosas mirabelles, enfrente a fila da Boulangerie D. Mellinger para pedir um quiche lorraine. Também é no mercado que fica o especialista em sopas, Patrick Grumberg, proprietário do bar Soupes a Soup’s. (ter/qua e qui 10h/18h30 e sex/sáb 8h/19h). Não deixe de provar: sopa saborosa, bons vinhos e atendimento amigável e informal! Cá entre nós, o Sr. Patrick é puro folclore!


marché couvert metz

Marché couvert Metz 1

marché couvert metz 2

Place de la Republique e Esplanade: uma praça ampla, com uma grande fonte central, muito gramado e rodeada por monumentos históricos como Palais de Justice, Palais du Governeur e Arsenal (foto abaixo), um local dedicado à cultura que tem uma agenda completa de exposições e espetáculos, que vão de orquestras tradicionais a aprensentações de ballet contemporâneo. Também é nesta região que fica a Chapelle des Trempliers (foto abaixo). É, sem dúvida alguma, uma das regiões que mais gostei de caminhar, especialmente nor jardins ao redor da capela, na parte de trás do Arsenal.


place republique metz 1

place republique metz 2

place republique metz 3

arsenal metz

capela metz

Plan d’Eau e Canal de Jouy: Plan d’Eau é grande lago rodeado por imensos gramados e ciclovia. A partir dali é possível chegar de bicicleta ao Canal de Jouy, e pedalar à sua beirada. Para quem tiver pique, esta ciclovia vai longe!


Plan d'eau metz

plan d'eau metz 2

canal de jouy

canal de jouy 2

Jardin Botanique: pertinho do canal, o jardim botânico é um lugar de contemplação. Além das flores e pequenos jardins especiais – como o gracioso jardim japonês – esculturas estão espalhadas por toda parte. É possível visitar sua estufa. Programe-se para um piquenique e não vai se arrepender.


jardin botanique metz

Muralhas da cidade e Porte des Allemands: para conhecer as muralhas da cidade e suas torres a melhor forma é pegar as ciclovias que a contornam. Basta seguir o Circuit des Remparts. A vista para o rio Seille torna o passeio ainda mais agradável. 


muralhas metz 1

muralhas metz 2

murahlas metz 3

muralhas metz 4

porte des allemands 1

porte des allemands 2

Les Iles: duas ou três pequenas ilhas ficam no outro rio que corta a cidade, o Moselle. Nelas ficam a Opéra-Théatre Metz, o Temple Neuf e o moinho. Vale à pena dar uma volta por lá. Quem já esteve em Strasbourg e até mesmo em Amsterdam, pode ter alguma espécie de déjà-vu!


ilhas Metz

ilhas metz 2

ilhas metz 3

Aux Merveilleux de Fred: nos meus posts não podem faltar gulodices. Essa é a gulodice de Metz. Merveilleux é uma patisserie do norte da França, que é feita basicamente de suspiro coberto com um creme bem leve. Frédéric Vaucamps resolveu há algum tempo ressuscitar a tradicional patisserie, por vezes esquecida. E o resultado é fantástico. Imaginei que acharia o doce enjoativo mas, para minha surpresa, não é, dado a sua leveza! São 5 sabores: chocolate branco, chocolate escuro; café, cereja, caramelo e avelãs caramelizadas. Foi esse que me conquistou! 34 En Fournirue; ter/sex 10h/19h, sáb 9h/19h e dom 9h/13h.


Merveilleux de fred 1

merveilleux de fred 2

merveilleux de fred 3

#PompidoudeMetz #oquefazeremMetz #Metz #viagenspertodeParis #CentrePompidouMetz

0 views0 comments