• Clau Gazel

Entrevista para o Money Jornal

Confira minha participação no Money Jornal, edição n. 14, publicado em 28.10.2010.

Malas prontas e dinheiro no bolso para viajar Um plano, um voo e muitos destinos para você desvendar mundo afora

por Cristiane Morais

Não resta dúvidas de que viajar é uma das maravilhas da vida. Ver comos próprios olhos o visual estonteante de uma praia com aquele mar azul, o verde das montanhas, sentir o cheiro das flores, deliciar-se com gostosuras das mais diferentes cozinhas, tocar o primeiro floco de neve ou estar com a pessoa amada em um lugar romântico. Viajar é ir além, conhecer coisas novas, descansar, aproveitar, desfrutar, mas também, gastar. Ops, gastar. Antes de voltar daquelas ferias maravilhosas sem um tostão no bolso e sentir calafrios só de pensar na conta do cartão de crédito, saiba que o planejamento pode fazer você, inclusive, viajar de graça. Na edição anterior do Money Jornal falamos sobre o uso do cartão de crédito e como usá-lo a seu favor, escolhendo-o como aliado e não como vilão. Nas viagens, ele também pode ser um porto seguro ou o seu final trágico, basta sair da linha e usá-lo de maneira inadequada. Na maioria dos casos, quando o orçamento é bem controlado, o dinheiro em plástico é super útil para as famosas compras que trazem benefícios e pontos que podem financiar a viagem dos seus sonhos. Portanto, passe a valorizar melhor suas milhas e pontos, e veja os como sua poupança de viagem.Os planos de milhagem das companhias aéreas, que oferecem a possibilidade de reverter seus gastos no cartão de crédito em passagens aéreas, são cada dia mais interessantes. São como dinheiro no bolso para o viajante. Fã número um de programas de fidelidade, o consultor Gustavo Cerbasi concentra todos os seus gastos, desde o mercadinho da esquina até contas maiores, no cartão de crédito. O objetivo é acumular pontos e vantagens. Desde 2001 não compra passagem aérea para ele e a família viajar. Está certo que as viagens a trabalho pelo Brasil ajudam bastante a somar milhas, mas, para ele, isso não é desculpa para não começar a pontuar, já que a maioria dos consumidores utiliza o cartão de crédito para compras e, com isso, pode acumular pontos. Todos podem usufruir dos benefícios para planejar a próxima viagem. Você já percebeu se seu cartão possui programa de vantagens? Já usou os pontos para viajar? Está na hora de se informar e explorar os recursos disponíveis para usufruir de férias e viagens gastando muito menos. A dica do especialista é nunca usar seus suados pontos para troca de brindes inúteis que ficarão na prateleira. A melhor escolha para descontar os pontos é trocar por passagens e, de preferência, para uma viagem internacional. De acordo com ele, a troca se torna mais vantajosa, principalmente para a América Latina. “Normalmente, exigem a mesma pontuação para um trecho nacional ou nos países vizinhos”, afirma.

Um sonho e um destino

Com a experiência de quem já rodou Brasil afora e também a Europa, Claudia “Kronza”(Kronka) Gazel, que virou referência sobre viagens entre os amigos e criou um Blog para reunir todas as dicas, diz que viajar envolve prazer. Para alcançar isso, é preciso escolher o destino que sempre sonhou, mesmo que o valor dessa viagem seja o dobro de outras duas viagens. Para ela, a primeira coisa é escolher o destino, depois, buscar o planejamento financeiro para transformar seu sonho em realidade. Se ficar evidente que o destino não cabe dentro do orçamento, mesmo com muita ginástica, é melhor partir para o plano B. “Sempre temos uma listinha de lugares que queremos conhecer”, comenta. Decidido o destino, é hora de traçar a meta, ou seja, uma data. “A antecedência costuma ser a melhor aliada dos melhores preços, por isso, planeje seis meses antes”, aconselha Cerbasi. Fazendo isso, você pode aproveitar melhor as vantagens e promoções pela internet, seja na compra de passagens, hotel, reserva para uso de milhagens. Os preços são sempre melhores no transporte, principalmente no aéreo e no ferroviário pela Europa, por exemplo. Depois de acertadas as etapas de transporte e estadia, que vão consumir a maior parte do orçamento, é preciso planejar os gastos. Se for um destino nacional, é bom garantir de R$200 a R 300 por dia, já que em ritmo de férias as compras e atrações são muito maiores que quando você está trabalhando. Se resolver cruzar a fronteira nacional, os gastos podem aumentar bastante, principalmente porque a oferta de entretenimento é enorme. Vale fazer uma reserva de dinheiro para essas atividades e não passar aperto. Tirando transporte e hospedagem, os gastos for a do Brasil ficam em torno de US$1 mil por mês. Outra dica importante do consultor é pesquisar e conciliar a data da viagem com alguma programação única do local, como um grande show, festa etc. “O guia é sempre um grande aliado porque traz sempre detalhes importantes, indicações de restaurantes, mapas, e pode ser consultado a todo momento”, acrescenta. É preciso ficar atento aos famosos pacotes fechados. Inicialmente, podem parecer bastante atrativos com milhares de serviços, refeições e passeios inclusos. Mas comprar cada coisa isoladamente pode sair mais barato. Sem contar que é sempre mais prazeroso fazer suas próprias escolhas e não ter que cumprir listas pré-estabelecidas. “Costumo dizer que ninguém é obrigado a gostar de nada, nem de museu, de igreja ou de palácio. Em turismo, nada é obrigatório”, finaliza Claudia.


José Ignácio, Uruguai

Tome nota Confira as dicas da viajante Claudia “Kronza” (Kronka) Gazel, que conhece três países na América Latina, 12 na Europa, Estados Unidos e ainda planeja conhecer a África, Ásia e Oceania. • Faça na sua viagem, o que você gosta de fazer. A viagem do seu amigo não é necessariamente a sua viagem; • Leia sobre o lugar antes de ir para evitar decepções e contratempos; • Saiba escolher a companhia certa para viajar, observando identidade de interesses e orçamentária; • Não extrapole nos presentinhos de viagens e poupe tempo e dinheiro; • Estabeleça uma verba diária para hospedagem e passeios. Se você gosta de fazer compras, preveja o quanto vai gastar com isso; • Procure gastar só o que levar em dinheiro e não conte com o cartão de crédito. É horrível voltar de viagem, e, ao invés de sentir-se relaxado, ficar preocupado com as faturas de cartão; • Procure ficar em hotéis indicados por outras pessoas para evitar surpresas desagradáveis.

#MoneyJornal #Expomoney #entrevista #ClaudiaGazel #CristianeMorais

0 views

©2019 by Paris na Veia. Proudly created with Wix.com