• Clau Gazel

Organize sua viagem para Paris em 2015!

2015 é o ano que você escolheu para visitar Paris? Ótimo! Vou ajudar você a organizar sua viagem!

1. Quanto tempo antes organizar sua viagem

Já ouviu a expressão “tempo é dinheiro”?  Em termos de viagem, pense assim: “antecedência é economia”. Com tempo é possível pesquisar, achar promoções e escolher não apenas a data, mas também a hospedagem. Por isso, uma boa programação requer antecipação. Se for viajar de trem pela Europa, mais ainda! Os bilhetes ficam mais caros com o passar dos dias.

2. Qual época escolher para visitar Paris

Em linhas gerais, se puder escolher – nem todo mundo tem o privilégio de escolher a data das férias –  sugiro evitar as estações extremas: alto-verão (julho e agosto) e inverno (dezembro e janeiro).

2.1. No verão, além da temperatura –  há dois fatores adicionais a serem considerados: os pontos turísticos ficam cheios e muitos dos lugares mais legais – como é o caso de pequenos restaurantes familiares – fecham, especialmente em agosto.

2.2. Se resolver vir no frio, é uma viagem diferente. Não dá para fazer longas caminhadas. Andar na beira do Sena, então, ufa, que difícil! É preciso usar e abusar do transporte público.  Outra dica para não sofrer é parar de vez em quando para tomar uma chocolate, um café. Parece uma dica boba, mas na hora da empolgação, você segue em frente e, quando se dá conta, está com os dedos, o nariz e as orelhas congelados. A época é ideal para programas culturais; se você é rato de museus e galerias, não vai encontrar problemas!

3. Como calcular quanto gastar

Estabelecer uma cifra é algo impossível, pois o quanto se gasta é algo muito pessoal. Depende do tipo de hotel que escolher, o transporte que utilizar, quantos museus vai visitar e que tipo de restaurantes vai frequentar. Mas, via de regra, para se programar financeiramente, os gastos que você precisa considerar são: passagens de avião, hospedagem, alimentação (atenção ao café da manhã: a maioria dos hotéis em Paris anda cobrando à parte) e visitas pagas (museus, e monumentos em geral que você já sabe que quer conhecer). Esse é o grosso da sua viagem. Se quiser, acrescente 10% de gordura e, se for o caso, uma reserva para compras.

3.1. Sobre museus: comprar o Museum Pass pode não ser para você. Saiba porque neste post. Esta é uma reflexão valiosa que pode pesar no seu bolso!

4. Onde ficar

4.1. Hotéis – opte por hotéis indicados por alguém que você conhece e confia e, sobretudo, que tem gosto e bolso parecido com o seu. Em Paris tem muita tranqueira a preços altos. Hotéis com quartos velhos, fedidos e banheiro caindo aos pedaços, por 120/130 euros,  têm aos montes, especialmente na região do Quartier Latin. Evite essa roubada. Desconfie de preços muito baixos. Muitos hotéis a preços baixos não ficam dentro da cidade! Um lugar não servido pelo metrô, fora de Paris, pode encarecer o transporte e ainda, comer o seu tempo. Pesquise, confira a localização num mapa, informe-se sobre o bairro. Dê uma olhada  em alguns dos hotéis que sugiro. O post é antigo, mas continua válido. São hotéis que conheço e que familiares, amigos e leitores ficam. E têm preços para todos os bolsos.

3.2. Apartamentos – A experiência de ficar num apartamento pode ser fantástica. O fato de você poder ir ao supermercado, à queijaria, à padaria e comprar tudo do bom e do melhor tornará sua viagem inesquecível! E, acredite: pode sair mais em conta do que ficar num hotel. Hoje a oferta é enorme e também é preciso tomar cuidado. Pense em tudo o que espera e não espera de um apartamento: escadas, elevadores, banheira, secador de cabelo, lava-louças, etc.

5. Como ir do aeroporto para a cidade e vice-versa

Há três maneiras de se locomover chegando no Aeroporto Charles de Gaulle (voos diretos do Brasil para Paris): táxi (custa por volta de 50/60 euros para a região de Saint-Michel), trem – RER linha B (11 euros  o trecho por pessoa) ou ônibus – Roissybus (9,40 euros por pessoa o trecho).  Se chegar por Orly (voos com escala em outra cidade da Europa), o Orlybus te leva até a estação Denfert-Rochereau (7,70 euros por trecho por pessoa) e aí, é preciso pegar o metrô. De táxi até o centro o valor aproximado é de 30 euros. Inclua este gasto no seu orçamento (ida e volta, lógico). Para mais informações, acesse o site da RATP.

6. Quanto custa comer bem em Paris

Paris tem restaurantes de todos os preços. Para uma boa refeição, tomando uma taça de vinho, você acaba gastando uns 25/30 euros por pessoa. Se quer algo mais elaborado, ficará na casa dos 40/50 euros. Mas que você encontra coisa mais barata, encontra. Se quiser comer crepe vai gastar no máximo 6/7 euros. Se quiser comer sanduíche, vai gastar menos ainda. Se quiser comer falaffel, gasta 5/6 euros. É legal fazer um mix de comidas mais simples, como crepe e sanduíche, com restaurantes legais. Aí a viagem fica interessante. Mas se você ficar em apartamento e fizer as refeições em casa, esse custo cai muito. Com 50 euros no supermercado você faz a festa. Na padaria 10 euros rendem demais: um pedaço de quiche ou um doce custa 2,50 e a baguete, 1,15 euros! Enfim, para você ter um norte, pense em quantos dias você acha que jantariam ou almoçariam no apartamento. E aí, faça as contas considerando que nesta refeição você vá gastar a metade do que gastaria num restaurante para comer o mesmo. Lógico que a conta não é exata, mas ajudará e muito no seu orçamento. Aqui tem um post com dicas para comer barato e fugir do Mc Donalds!

7. Como fazer o tempo render

7.1. Para não bater cabeça, escolha antecipadamente os principais pontos que mais tem vontade de ir: Torre Eiffel, Notre-Dame, Sacre-Coeur, Invalides, Musée Picasso, Louvre, D’Orsay, Disney, parques e praças.

7.2. Lembrem-se de conferir o horário e dias de funcionamento dos lugares que quer conhecer, para não fazer uma programação furada. Os museus, por exemplo, sempre fecham num dia da semana; geralmente é na segunda-feira ou terça-feira.

7.3. Reserve restaurantes, especialmente nos finais de semana. Também confira sempre os horários de funcionamento, pois muitos fecham cedo na hora do almoço e também aos domingos.

7.4. No primeiro domingo do mês os museus de Paris tem entrada gratuita, o que torna as filas intermináveis. Mas é de graça…

7.5. Cuidado com os feriados, pois vários estabelecimentos fecham. Fique atento nas seguintes ocasiões:  Páscoa; 01/05 – Dia do Trabalho; 14/07 – Queda da Bastilha; Natal e Ano Novo.

7.6. Essa história de passar uma semana em Paris e ficar fazendo bate-volta para outras cidades encarece bastante a viagem e, ainda, diminui o tempo por aqui. Que tal conhecer Paris direito? Venha e fique por aqui durante, de 5 dias a uma semana! Leia mais a respeito neste post sobre bate-volta para Londres.

8. Andar a pé ou usar transporte público

É muito bom andar por Paris. Isso faz parte do turismo parisiense, andar pelas ruas. Mas quando tem pouco tempo acredito que o transporte público é a melhor opção. Neste post explico em detalhes qual ticket escolher: não deixe de ler!

9. Andar de bike é uma ótima opção

A Velib’ é o sistema de locação de bikes da Prefeitura de Paris e funciona super bem! Explore-o! Leia mais aqui.

10. Como fugir da fila da Torre Eiffel

A cada dia a Torre está mais lotada: é inacreditável! O que você pode fazer é comprar pelo site, com horário marcado. Clique aqui e veja o post que tem as diretrizes.

Se ainda assim precisa de ajuda, pode contar com a gente para a elaboração de roteiros personalizados, aluguel de apartamentos e passeios guiados. Para detalhes, escreva para claudia@aviagemcerta.com.br.

#hospedagememParis #transportepúblicoemParis #orçamentodeviagemparaParis #dicasdeParis #comerbememParis #organizaçãodaviagemparaParis #roteiroemParis

0 views

©2019 by Paris na Veia. Proudly created with Wix.com