• Clau Gazel

VIAGENS DE CLAUDIA – Elas e Lucros n. 18


A Europa pode caber no bolso

Como transformar sua viagem em uma experiência inesquecível e ainda mais econômica


Queijaria na Rue Daguerre: um passeio bem parisiense, essa rua é o lugar ideal para comprar alimentos de qualidade

Há algum tempo venho repetindo insistentemente: quando for viajar para a Europa, alugue um apartamento em vez de ficar num hotel. Você vai se surpreender. Para explicar por que tenho feito essa sugestão, listei algumas dicas que podem convencê-la de que essa é a melhor experiência que você pode ter em um país estrangeiro. E mais: sua viagem pode se tornar mais econômica.

1. Considere visitar o mínimo de países possível em uma única viagem: quando se decide viajar para a Europa, o primeiro impulso é pensar em visitar no mínimo dois países, e olhe lá. No entanto, além do corre-corre em aeroportos ou do tempo gasto em longas viagens de ônibus, o transporte encarece bastante a viagem. Além disso, dois ou três dias em determinado país é muito pouco para observar a vida cotidiana de um povo e conhecer sua cultura.

2. Alugue um apartamento em vez de ficar num hotel: é verdade que, comparando a diária de um quarto de hotel com a do aluguel de um apartamento, este pode ser mais caro. No entanto, na ponta do lápis, a viagem pode ficar bem mais barata, considerando que parte das refeições em restaurantes caros será substituída por pratos preparados no próprio apartamento. Procure sites de locação bem recomendados.

3. Faça algumas (não todas) refeições em casa: para comprar pães, frutas, sucos, queijos e iogurtes de ótima qualidade em supermercados e feiras, você vai gastar muito pouco. Garanto que, se souber dosar bem os ingredientes de seu café, ele sairá bem mais em conta do que lhe cobrariam num hotel para tomar suco de laranja de caixinha. Além disso, você pode variar, fugindo do cardápio repetitivo dos cafés da manhã em hotéis. O mesmo vale para o almoço e o jantar. E eu não estou sugerindo aqui partir para o macarrão com molho pronto. Pelo contrário. Com um valor relativamente menor – por experiência própria, a redução no custo pode chegar a 50% em comparação com um restaurante de nível médio –, você pode fazer verdadeiros banquetes, com legumes, verduras e frutas da estação. E não se preocupe com o aparato, pois os bons sites para locação de imóveis para férias exigem um mínimo de utensílios bastante razoável.

4. Frequente os supermercados, as feiras e os mercados: sabe aquele desejo que você tem de comprar algumas frutas ou queijos típicos da região que está visitando e, no entanto, você deixa para lá ou porque o quarto não tem frigobar ou porque você teria de pedir pratos, talheres e tudo mais na recepção do hotel ou, ainda, porque você ficará na rua por 14 horas seguidas e não poderá carregar aquelas frutas delicadas por todo esse tempo? Se alugar um apartamento, grande parte desse problema deixa de existir e você vai embora para casa com muito mais que uma foto das tais frutas exóticas. Leve com você o gosto na memória de tudo aquilo que provou.

5. Ande a esmo, sem destino e permita-se fazer descobertas: em algumas ocasiões da viagem, deixe de lado o guia turístico e permita-se tomar outros ares, conhecer locais além do óbvio-turístico-obrigatório. Deseje fazer suas próprias descobertas. Simplesmente flane pelas ruas. E a chance de o ambiente conspirar a seu favor quando se aluga um apartamento em um edifício residencial é sempre maior do que quando se está hospedado em um hotel, na maioria das vezes cercado por atrações turísticas. E lembre-se que, para andar pelas ruas, não se paga nada… E aprende-se muito.

Se conseguir, ao menos uma vez, se libertar dos antigos padrões, garanto que vai querer repetir a dose.

#ClaudiaKronkaGazel #colunaElaseLucros #ViagensdeClaudia #ElaseLucros #ClaudiaGazel #EditoraLetraseLucros

0 views0 comments

Recent Posts

See All